Primeira Inspetoria Litúrgica do Estado de Goiás (PILEGO)

PRIMEIRA INSPETORIA LITÚRGICA DO ESTADO DE GOIÁS
PRIMEIRA INSPETORIA LITÚRGICA DO ESTADO DE GOIÁS
Supremo Conselho do Grau 33 do Rito Escocês Antigo e Aceito da Maçonaria
para a República Federativa do Brasil
Breve Histórico

É o Rito mais popular entre a população maçônica brasileira. A maioria dos autores é coincidente na afirmação de que este Rito teria surgido na França pela criação do Rito de Perfeição ou Heredom. Os Jacobistas exilados na França muito contribuíram para a formação e a propagação deste Rito. O Rito Escocês é um Rito especial, inclusive no que diz respeito às suas origens.

Todos os Ritos conhecidos têm a sua história e origem bem definidas. A história e a origem do Rito Escocês dão margem a muitas indagações, a começar pelo fato de que é Escocês e nasceu na França.

O sistema escocês teve origem na França pelos partidários dos Stuarts, que se encontravam lá exilada. O Rei Carlos I, da família dos Stuarts, da Inglaterra e da Escócia, havia sido deposto pelo ditador Oliver Cromwell. Foi a primeira manifestação maçônica ocorrida na França, por volta de 1650. O Sistema Escocês não tinha uma linha obediencial, eis que não se submeteu à Grande Loja da Inglaterra, quando, em 1717, ela foi fundada. Era um sistema livre praticado por Lojas Livres e por Maçons Livres. A partir de segunda metade do século XVIII é que foram criados os 25 Graus do chamado Rito de Heredom, que mais tarde receberiam a adição de mais oito Graus com a fundação do Supremo Conselho de Charleston, a partir de 1800. Esse Supremo Conselho foi o primeiro do mundo, sendo assim, o Supremo Conselho Mater-Mundi.

As causas da criação dos Altos Graus são obscuras. Alguns autores acham que foram políticas, sendo uma maneira de controlar as Lojas Maçônicas; outros acham que foram doutrinárias com extensão da Maçonaria Simbólica, agregando novos estudos no desenvolvimento dos Maçons; outros acham, ainda, que as vaidades pessoais e a busca de títulos deram causa à criação dos Altos Graus. O Rito Escocês foi o primeiro Rito Maçônico a possuir Altos Graus. Na origem dos Altos Graus há certa uniformidade entre os autores, apesar dos que defendem a participação efetiva de Frederico II da Prússia, o que não é realidade, mas concordam que o Discurso do Cavaleiro de Ramsay, o Capítulo de Clermont e o Conselho dos Imperadores do Oriente e do Ocidente, Grande e Soberana Loja Escocesa de São João de Jerusalém, constituem os pontos fundamentais na origem dos Altos Graus.

O documento produzido pelo Cavaleiro de Ramsay induziu a uma reforma maçônica com a adoção dos Altos Graus. Este documento passou à história como o Discurso de Ramsay.

O Capítulo de Clermont foi criado em Paris e teve pouca duração. Pregava basicamente duas coisas: não se submeter à Grande Loja da Inglaterra e praticar, propagar e divulgar os Altos Graus.

O Conselho dos Imperadores do Oriente e do Ocidente, também fundado a partir do Capítulo de Clermont, era a Grande e Soberana Loja Escocesa de São João de Jerusalém e foi uma importante Potência escocesa. Foi essa Potência que criou um sistema escalonado de 25 Graus, que eram chamados Graus de Perfeição, os que iam do Grau 4 ao 25. Esta escala de 25 Graus recebeu a denominação de Rito de Perfeição ou Rito de Heredom.

Posteriormente, Morin recebeu do Conselho dos Imperadores do Oriente e Ocidente uma carta-patente que o credenciava a criar Lojas dos Altos Graus nas Américas, muito embora ele tenha constatado que aqui na América já havia Lojas de Altos Graus em pleno e perfeito funcionamento.

Essa tal carta-patente, cuja autenticidade foi questionada, mais tarde foi autenticada pelo Conde Auguste de Grasse-Tilly, primeiro Soberano Grande Comendador do Supremo Conselho da França.

Ao sistema de 25 Graus do Rito de Heredom, os norte-americanos adicionaram mais oito Graus, criando assim a escalada hierárquica que temos atualmente no Rito Escocês Antigo e Aceito.

A denominação "Antigo e Aceito" surgiu na França por cópia de uma situação criada com a fundação da Grande Loja de Londres. Ocorre que, já bem anteriormente, a Ordem Maçônica recebia os "Aceitos" que eram Maçons que, apesar de aceitos na Ordem, não exerciam as profissões dos Operativos. Com a criação da Grande Loja de Londres, muitas Lojas fizeram-lhe oposição, não se submetendo à nova Obediência. Os Maçons das Lojas subordinadas à Grande Loja foram considerados "Modernos" (o que não tem nada a ver com o Rito Moderno, que surgiria mais tarde na França). Já os Maçons residentes foram considerados "Antigos".

Algo semelhante aconteceu na França, mais tarde. O Grande Oriente da França resolveu fazer uma revisão nos Altos Graus e apresentou um Rito que tinha apenas quatro Altos Graus.

Nascia aí o Rito Francês, ou Francês Moderno ou, simplesmente, Moderno.

Passaram, então, os adeptos do Rito Escocês, que vinha expandindo-se, a criticar o novo Rito, chamando-o de "Moderno", enquanto denominavam a si mesmos de "Antigos e Aceitos", ao mesmo tempo em que deram oficialmente nome ao Rito de Rito Escocês Antigo e Aceito.

Como dissemos, o primeiro Supremo Conselho criado no mundo foi o Norte-americano de Charleston; o segundo foi o Supremo Conselho da França e a partir daí estendeu-se para o mundo pelas mãos do Conde de Grasse-Tilly.

Pelo que a história registra o Rei Frederico II da Prússia pouco ou nada teve a ver com a criação e expansão dos Altos Graus, que foram criados por norte-americanos de origem judaica.

Lojas Simbólicas

Grau 1: Aprendiz Maçom
Grau 2: Companheiro Maçom
Grau 3: Mestre Maçom

Lojas de Perfeição

Grau 4: Mestre Secreto
Grau 5: Mestre Perfeito
Grau 6: Secretário Íntimo
Grau 7: Preboste e Juíz
Grau 8: Intendente dos Edifícios
Grau 9: Mestre Eleito dos Nove
Grau 10: Mestre Eleito dos Quinze
Grau 11: Mestre Eleito dos Doze
Grau 12: Grão-Mestre Arquiteto
Grau 13: Real Arco
Grau 14: Perfeito e Sublime Maçom

Capítulos

Grau 15: Cavaleiro do Oriente ou da Espada
Grau 16: Príncipe de Jerusalém
Grau 17: Cavaleiro do Oriente e do Ocidente
Grau 18: Cavaleiro Rosa-Cruz

Conselhos Kadosh

Grau 19: Grande Pontífice
Grau 20: Mestre Ad Vitam
Grau 21: Noaquita ou Cavaleiro Prussiano
Grau 22: Cavaleiro do Real Machado
Grau 23: Chefe do Tabernáculo
Grau 24: Príncipe do Tabernáculo
Grau 25: Cavaleiro da Serpente de Bronze
Grau 26: Escocês Trinitário
Grau 27: Grande Comendador do Templo
Grau 28: Cavaleiro do Sol
Grau 29: Grande Escocês de Santo André da Escócia
Grau 30: Cavaleiro Kadosh

Consistórios

Grau 31: Grande Inspetor
Grau 32: Sublime Príncipe do Real Segredo

Supremo Conselho

Grau 33: Grande Inspetor Geral da Ordem

Endereço: AVENIDA PROGRESSO • Nº 74 • SETOR JAÓ • GOIÂNIA / GOIÁS (GO) • BRASIL (BR) • CEP: 74674-030 • Telefone: (62) 3207-1512 • E-mail: secretaria@pilego.org.br
Visualize no Google Maps
PILEGO Enterprise • Versão 1.0.10 em 29/07/2020 • Copyright © 2019, 2020 LiveERP • Todos os direitos reservados